domingo, 31 de agosto de 2008

Um tempo ao tempo

Nossa vida anda assim, semanas grudadas em semanas, concentrando nossas atividades, emendando os dias, tornando difícil a distinção uns dos outros. Quando vemos já é domingo novamente.
Ontem, um sábado chuvoso, almoçamos com uma amiga querida que não víamos há muito tempo. Perguntamos-nos como é que não nos concedemos desfrutar da nossa amizade com mais freqüência.
Realmente! Ela teve de ir a Cuba e voltar para termos uma desculpa para marcarmos um encontro.
Bia Chaachaa trabalha com gastronomia assim como nós. É dona de uma das lojas árabes mais tradicionais do Rio de Janeiro, o Baalbek da Galeria Menescal em Copacabana.
Depois de um almoço delicioso, tanto pela comida e vinhos como pela conversa que não queria terminar, nos despedimos com promessas de novos encontros e, por que não, com alguns projetos em comum.
Bia disse que uma das coisas que mais gostou da viagem à Cuba foi do tempo, marcado pelos rituais diários que ainda faz parte da vida em Havana. O progresso e o consumismo estão chegando, devarzinho, assim eles ainda tem a vantagem de usufruir uma qualidade de tempo que aqui não existe mais.

A última vez que consegui escrever para o meu Blog foi antes do festival que fiz no Montagu. Tanta coisa aconteceu, mas agora, embalada no movimento de fazer o que me faz bem além do trabalho profissional e doméstico, volto a escrever.

Reinicio com o meu Festival no Montagu.


Fiquei muito satisfeita com o resultado do festival no Bistrô Montagu . Acho que os pratos saíram bonitos, gostosos e inusitados, e a harmonização agradou a todos – principalmente o Agnolotti “dal Plin” ai Gamberi com o Roero Arneis DOC 2005.

Além dos prazeres gastronômicos foi um prazer trabalhar novamente com a minha fiel amiga, a Chef Maria Victória, sua equipe e seu filho, Chef Paulo Goés. Paulinho, como nós o chamamos, me emocionou com sua maturidade – afinal conheço o guri desde o início da adolescência - e tenho a honra de ter dado a ele sua primeira faca. Cozinheiros supersticiosamente não dão facas de presente com medo de cortar a amizade, eu fui cética e quis dar um presente simbólico e encorajador ao rapaz que depois de nos ver trabalhar tanto estava interessado em ingressar na mesma profissão. Pelo visto fiz bem e a próxima faca que darei será para meu auxiliar e primo, Joca. Aposto neste rapaz.

Como fui com Victória para o Piemonte, noroeste da Itália, participar de um curso no ICIF resolvemos fazer dele tema desta festival harmonizado para celebrar uma parceria de longa data. No Montagu não poderia deixar de ser usar uma visão contemporânea de receitas tradicionais da região para oferecer um passeio pela culinária local em duas noites, 5 e 6 de agosto, acompanhada de Duda Zagari, proprietário da Confraria Carioca, que apresentou os tintos harmonizados com o Menu.

Uovo alla Carbonara nel Proprio Guscio
(Ovo à carbonara servido na própria casca)
Vinho: Cuvée Montagu NV


Agnolotti “dal Plin” ai Gamberi
(agnolotti recheado com camarão, servido no cartoccio ao vapor de tomilho)
Vinho: Roero Arneis DOC 2005



Vitello e Bigné Ripieno
(Medalhão de vitelo , Carolina recheada com purê de berinjela e creme de tomate, telha de risotto de açafrão)
Vinho: Poggio Bidini Nero D´Avola 2005



Cinghiale Cotto a Bassa Temperatura
(Javali assado à baixa temperatura, servido com infusão de maçã
e molho de uva)
Vinho: Palagetto Rosso di Montalcino DOC 2004.



Torta di Farro Messisbugo

(receita renascentista com massa perfumada com açafrão, recheada
com frutos e especiarias)

Bistrô Montagu
Tel.: (0xx21) 2493-5966
Avenida Armando Lombardi, 800, Loja -100 C (Condato de Cascais)
Barra da Tijuca
http://www.montagu.com.br/














Um comentário:

UM DEDO DE PROSA disse...

Ciça querida!

Que belo texto para tão importante tema. Tempo.
Esse bem mais precioso que temos, além da vida.
Vivido, utilizado, passado. Não volta.
Não há riqueza neste mundo que o compre de volta.
Só nos resta vivê-lo.
E bem vivido!
Bjs.

Fernando Ferreira