sábado, 12 de dezembro de 2009

Gato Filú Pâtisserie - sobremesas por encomenda para o Natal

foto: Paulo Salerno
As chefs Ciça Roxo e Maria Victoria têm o prazer de apresentar uma  linha exclusiva de pâtisserie, personalizada, criada especialmente para as Festas de Final de Ano.  
Todas as sobremesas são produzidas uma a uma, de forma artesanal e com ingredientes de primeira qualidade.
As encomendas podem ser feitas com o prazo mínimo de 48 horas pelos emails mariavictoria@superig.com.br ou roxo@superig.com.br   
Peça a sua sobremesa até o dia 21 de dezembro – último dia útil para encomendas.

Tortas e Sobremesas:
Tamanho médio - 6 a 8 fatias 
Tamanho grande - 10 a 12 fatias
  
Torta de nozes pecã e chocolate preto 85,00 (grande )

Massa crocante feita com nozes pecã tostadas e especiarias, recheada com ganache de chocolate escuro perfumada com baunilha

Torta de nozes pecã e chocolate branco  85,00 (grande )
Massa crocante feita com nozes pecã tostadas e especiarias, recheada com ganache de chocolate branco perfumada com canela.

Torta Tradicional de nozes  68,00 (grande ) 58,00 (média )
Massa de nozes, recheada com doce de ovos e coberta com geléia de damasco, suspiro italiano e crocante de nozes

Cacau tropical  68,00 (grande ) 58,00(média)
Mousse de chocolate branco e coco, com crocante de cacau sobre biscuit de chocolate, polvilhada com cacau orgânico

Torta de chocolate com damasco  60,00 (grande)  50,00(média)
Genoise de cacau, embebida em calda  de laranja, recheada com purê de damascos e coberta com ganache de chocolate


Torta de Chocolate e Frutas Vermelhas  60,00 (grande ) 50,00 (média)
Genoise de cacau, embebida em calda de chocolate, recheada com frutas vermelhas e geléia de cassis, coberta com ganache de chocolate.

Torta de Crocante de Chocolate 60,00 (grande) 50,00 (média)
Genoise de cacau, embebida em calda de chocolate, recheada com chantilly de chocolate com cacau tostado e, coberta com ganache de chocolate e praliné de castanhas.

Pudim de Natal  80,00 (grande ) 70,00 (médio)
Pudim inglês de frutas secas e frescas, flambado em conhaque e servido com greme de baunilha.

Pudim de Claras e Damascos  60,00 (grande)  50,00 (médio)
Pudim de claras com purê de damascos coberto com chantilly e praliné de castanha de cajú, flambado em conhaque e servido com greme de baunilha.

Torta de Frutas Vermelhas e Chantilly 55,00 (grande) 46,00(média)
Genoise branca recheio de frutas vermelhas e cassis, coberta com chantilly

Rabanadas à Moda Antiga   3,50 a unidade
Fatias de pão altas embebidas em creme anglaise com Vinho do Porto, fritas e passadas por canela e açúcar

Xmas Cake  19,00 a unidade  (330g)
Tradicional Bolo de natal com frutas secas e cristalizadas, especiarias, embebido em conhaque.


domingo, 1 de novembro de 2009

São Paulo ao Vivo


Victoria me convidou para ajuda-la na aula que deu no Prazeres da Mesa ao Vivo dia 30 de outubro.

Este será o primeiro ano que não estaremos trabalhando em um evento gastronômico em São Paulo desde 1997. Para não ficar com tanta saudade e porque gosto muito de dar aula com a Vi aceitei o convite na hora.

A aula foi sobre diferentes modos de cozinhar peixe. Victoria que já é macaca velha de aulas em eventos optou pela simplicidade com conteúdo.

A aula foi muito interessante. Ela fez dois pratos: um badejo confitado no azeite com ervas e alho, servido com mini legumes grelhados - um prato aromático e colorido que ficou lindo - e um cubo de atum marinado no shoyu e gengibre “queimado” no maçarico, servido com wassabi e mini ervas - uma pintura.

As mini ervas da Fátima são delicadas e encantadoras. Foram colhidas no mesmo dia de madrugada e entregues à Victoria diretamente no aeroporto.

O segredo da boa comida é a qualidade de seus ingredientes. Um chef com bons fornecedores está bem equipado para surpreender.

Eu havia estado na Prazeres ao Vivo anos atrás. Ouvi dizer que estava cada vez melhor organizada e interessante. De fato fiquei contente de poder testemunhar e compartilhar da mesma opinião.

A faculdade de gastronomia do Senac de São Paulo, parceira da revista neste evento, tem uma estrutura dos sonhos. Monitores e alunos deram show de organização e participação. Foi estimulante ver alunos trabalhando com seriedade, eficiência e gentileza não só como ajudantes dos chefs mas também na organização de salas e estoques.

Depois da aula aproveitamos para visitar stands e conversar com outros chefs, amigos e jornalistas.

Fomos jantar no Tordesilhas - eu tinha me prometido que quando viesse à São Paulo iria comer na casa da Mara Salles para matar as saudades dos seus temperos e da viagem ao Recôncavo que fizemos depois do Bahia Gourmet. Consegui juntar quatro chefs que fizeram parte desta viagem, mas viramos oito e acabamos em um grupo de 15. Ainda bem que a Mara adorou.

Mara nos fez alguns dos pratos que serviu para os franceses que vieram participar do Jantar das Gerações e do Mesa Tendências – com direito a mil histórias e explicações.

Humm que delícia de Barreado fumegante, e a Salada de Abobrinha.... tão singela e explosivamente saborosa.... o Bolinho Errado é o bolinho de aipim mais certo que já comi, e veja bem, nem é nem recheado. Os franceses tiveram sorte. Nós também. Ficaremos com saudades das textura e dos sabores.

Como disse Andrea Tinoco neste jantar aprendemos muito com esta chef, apaixonada pelo nosso Brasil, pelos nossos produtos e cultura. Eu digo isso não só porque jantei no seu restaurante mas porque na viagem ao Recôncavo Baiano tive a sorte de conhecer melhor muitos ingredientes e pratos por causa do entusiasmo e das milhares perguntas que Mara fez. Mara comprou tanta, mas tanta coisa, que achamos que Ivo, seu marido, iria acabar desistindo de levar tudo para São Paulo. Que nada! Mara chegou no Tordesilhas cheia de novidades e fez seu festival: “Tem Sim, mas Tá Acabando”. Adorei!!!!! É a cara da Mara e do Ivo.

Como uma ida à Sampa não está completa sem o nosso ritual de tomar café da manhã no Douce France, combinamos com nossos grandes e antigos amigos, Silvia e Dario, e meu irmão Juca, nosso bat encontro no sábado. Fabrice, além de pâtissier é um doce de pessoa, como sempre nos recebeu super bem, com croissants ma-ra-vi-lho-sos e um tour às novidades de sua loja e de sua produção. Vocêrs conhecem o salão de chá do segundo andar¿ Está belíssimo.

Ele nos contou que foi excelente participar do jantar Encontro deGerações e que estava muito contente com a sobremesa que havia servido: Mousseline de Chocolate Branco e cremoso de Framboesa. Mais uma vez tivemos a sorte de poder experimentar algo que foi feito exclusivamente para este importante evento. Apesar de por enquanto não poderem apreciar as texturas e o sabor poderão ver a beleza que ficou.

Como ninguém é de ferro, e nem só de amigos e gastronomia vive a felicidade, antes de ir embora dei umas cheiradas e umas amassadinhas na Rosa, minha sobrinha gostosa.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

VINHO & CHOCOLATE


Marcelo Copello ontem fez na sua Mar de Vinhos polêmica e interessante palestra "Vinho e Chocolate".
Para acompanhar seu tema fizemos uma massa de cacau acompanhada de ragu de javali.
O resultado e a receita vocês podem conferir agora.

tagliarini de cacau com rAGU DE javali

Ingredientes

Javali - marinada

  • 1 pernil de javali de 1,5Kg
  • 2 cebolas médias, cortada grosseiramente
  • 3 dentes de alho, mal picado
  • 2 cenouras, cortada grosseiramente
  • 2 talos de aipo, mal picado
  • 1 alho poro, mal picado
  • 3 folhas de louro
  • 2 ramos de alecrim
  • 2 ramos de tomilho
  • 1 c de chá de sal
  • 1 garrafa de vinho tinto seco

Molho:

  • 1 cebola grande, picada (175g)
  • 4 dentes de alho, picados (24g)
  • 3cm de gengibre, ralado (23g)
  • 2 talos de aipo, picado (45g)
  • 1 alho poro, cortado em juliana(120g)
  • Vinho tinto 200ml
  • Bouquet garni (louro, alecrim, tomilho, salvia)
  • 1\2 c de sopa de farinha
  • Caldo do cozimento javali
  • Carne do javali

Finalização

  • Manjericão
  • Tagliarini

Modo de Fazer

Marinada

Limpe o pernil de javali e esfregue nele o sal.

Porcione os legumes aromáticos e as ervas e deixe o pernil de javali marinando junto com o vinho tinto por 12 horas.

Coloque em uma assadeira funda sobre uma “cama” feita com os legumes da marinada, junto com o seu caldo.

Asse em forno baixo até que fique macio – por volta de 2 horas e meia. A carne está no ponto quando, ao ser espetada, soltar um líquido transparente.

Deixe a carne esfriar separada do caldo e coe este caldo.

Desengordure o caldo (a gordura ficará sólida e fácil de ser separada se o caldo for gelado).

Desfie grosseiramente o javali.

Molho:

Refogue os legumes em azeite até dourarem levemente.

Adicione a farinha de trigo polvilhando-as sobre os legumes. Refogue mais um pouco.

Alongue o molho com vinho tinto e deixe reduzir.

Adicione o caldo desengordurado.

Junte o javali e corrija o sal.

Montagem:

Cozinhe o tagliarini e sirva com o molho.

Decore com manjericão e queijo grana padano ralado.


Taglianiri de cacau

  • 240 g de farinha de trigo
  • 120 g de sêmola de grão duro
  • 40 g de cacau em pó
  • 4 ovos

Modo de Fazer

Faça uma montanha com furo no meio coma as farinhas e cacau.

Abra os ovos no buraco e bata-os ligueiramente com um garfo, incorporando a farinha até obter uma massa homogênea.

Faça uma bola, embrulhe em plástico e deixe descansar por meia hora antes de abrir.


domingo, 25 de outubro de 2009

Rosa Poché

Foi um feriado delicioso, apesar de tudo. O motivo foi triste e choveu o tempo todo.

Meu primo faleceu depois de mais de 15 anos de tratamento de um tumor no cérebro que acabou evoluindo apesar de todos os cuidados, cirurgias e procedimentos a que se submeteu.

Ele sempre foi querido, engraçado e “picante”, super inteligente e antenado. Mas a gente não sabia que ele tinha tantos amigos, que era tão querido e que tinha tanto amor dentro de si. No hospital, em São Paulo, seu quarto virou point de “festa” dos amigos cariocas. Até o último momento foi rodeado de amor.

Deixou sabedoria e ensinamentos preciosos para seus filhos. Sua filha fez um discurso maduro e comovente na sua missa. Nós, amigos e parentes, sentiremos sua falta, mas nos lembraremos dele com afeto e riquesa.

Nestes momentos a família acaba se reunindo para ajudar aqueles que precisam e, por que não, para amenisar a própria dor da perda.

Moro no Rio fazem 20 anos. Perto da família de meus pais e longe deles e de meus irmãos, que moram em São Paulo. Sinto a maior falta.

Minha sobrinha, Rosa, está com 9 meses e veio ao Rio pela primeira vez. Meus filhos e ela finalmente se conheceram. A única prima que tem. E como eles se gostaram!

Engraçada a vida. Um bebê nos dá tanta alegria, é tão cheiroso, gostoso, charmoso, entusiasmante. Nos distancia um pouco da dor e tem o poder de nos fazer esquece-la, mesmo que por pouco tempo.

Bebê dá um trabalhão e ainda mais alegria. De fato é uma promessa.

Nada mais delicioso do que o banho improvisado de Rosa no panelão ou de curtir as suas descobertas sonoras assoprando e puxando o ar de seus apitos de madeira.

Viva a vida. Rosa pochê foi a confort baby desta vez

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Biryani de cordeiro - Mar de Vinhos

Que saudades de cozinhar para o Mar de Vinhos.
Marcelo Copello, eleito o mais influente crítico de vinho do Brasil pela revista Meininger's Wine Business International, está viajando muito este ano, mas quando está por aqui faz degustações e palestras em sua escola.

Ontem eu e Joca pudemos matar as saudades de todos na degustação "10 anos de Tops do Chile".
Servimos um Biryani de cordeiro, prato servido em ocasiões comemorativas, como casamento, na Índia.
Nós estamos pesquisando as cozinhas asiáticas ultimamente.

Biryani de cordeiro (mUGHALAI LAMB bIRYANI)

Rendimento: 6 porções

Ingredientes

  • 2 xícaras de arroz basmati
  • 3 c sopa de sal
  • 1 c café fios de açafrão
  • 2 c sopa de leite morno
  • 3 cebolas médias, descascadas
  • 4 dentes de alho, picados
  • 2cm de raiz de gengibre, picada
  • meia xícara de amêndoas fatiadas
  • 3,6 litros de água mineral
  • 13 c sopa de óleo
  • 3 c sopa de passas
  • 700g de cordeiro desossado, cortado em cubos de 2,5cm
  • 225ml de iogurte natural
  • 5 dentes de cravo
  • 10 grãos de pimenta do reino
  • 5 sementes de cardamomo
  • 1 c chá semente de cominho
  • 1 c chá semente coentro
  • 2,5 cm pau de canela
  • Um sexto de nos moscada em pó
  • Um quarto de c chá de pimenta calabresa em pó
  • 25g de manteiga sem sal, cortad em 8 pedaços
  • 3 ovos cozidos, descascados

Modo de Fazer

Lave o arroz em várias mudas de água.

Escorra e adicione2 litros de água com 1 c sopa de sal. Deixe hidratar por 3 horas em uma tigela.

Aqueça os fios de açafrão em uma panela muito pequena (de preferência de ferro) sobre fogo moderado.

Junte o leite com o açafrão em um copinho e deixe em infusão.

Corte duas cebolas em juliana fina. Reserve.

Pique a última cebola.

Processe a cebola picada com o alho e o gengibre picados, a amêndoa fatiada e 2 c sopa de água até obter uma pasta.

Aqueça 6 c sopa de óleo em uma frigideira de 25cm anti-aderente sobre fogo moderado.

Quando estiver quente frite a cebola em juliana até ficar crocante.

Retire da frigideira com escumadeira e espalhe sobre uma assadeira forrada com papel cozinha.

Refogue as passas no mesmo óleo até que fiquem inchadas. Reserve.

Refogue até dourarem as duas últimas c de sopa de amêndoa no mesmo óleo. Reserve.

Grelhe os cubos de carne no mesmo óleo, poucos por vez. Reserve.

Adicione 7 c de sopa de óleo à frigideira e refogue a pasta de cebola-alho-gengibre-amêndoa. Mexendo sempre cozinhe a pasta até que engrosse e fique dourada escura.

Junte a carne e os sucos acumulados.

Tempere com sal e adicione 150ml de água. Cozinhe por 30 minutos.

Enquanto a carne cozinha passe as especiarias (cravos, pimenta do reino, semente de cardamomo, semente de cominho, canela, pimenta calabresa e noz moscada) pelo processador até obter um pó fino.

Depois da carne ter cozido por 30 minutos adicione as especiarias moidas. Continue cozinhando a carne, com tampa, por mais 30 minutos.

Destampe e continue cozinhando até engrossar.

Retire o máximo de gordura possível.

Espalhe a carne em um refratário bonito, que possa ir à mesa.

Pré-aqueça o forno á 150ºC.

Faça o arroz: ferva 3,5 litros de água em uma panela grande com 1 e meia c sopa de sal.

Escorra o arroz demolhado e lave-o.

Aos poucos transfira o arroz à panela de água fervente. Deixe ferver novamente e cozinhe por mais 6 minutos. Escorra o arroz.

Montagem: espalhe o arroz por cima da carne, empilhando-o como uma montanha. Faça furos De 2,5cm do topo da montanha ao fundo do refratário.

Derrame o leite açafronado sobre ao longo do arroz.

Coloque os pedaços de manteiga ao redor da montanha distribua a cebola sobre o furo.

Cubra com papel alumínio e feche bem. Asse por 1 hoora.

Na hora de servir: corte os ovos em quartos e reserve.

Misture delicadamente o conteudo o arroz com a carne.

Sirva o arroz guarnecido de quartos de ovos, cebolas douradas, passas, amêndoas e pistaches.




quarta-feira, 29 de julho de 2009

VENGA






Meu Deus do céu, quanto tempo não escrevo.
Este foi um semestre intenssíssimo. Eu e Joca demos consultoria para a abertura de dois restaurantes, Venga - Bar de Tapas e Nove, e merecidamente fiz uma viagem de férias com minha família à Itália e à França por 20 dias em julho.

Os dois restaurantes estão bem sucedidos. É muito bom ver o esforço de tanto trabalho frutificar.
O VENGA então, que abriu no final de abril, tem recebido bons elogios além de estar com uma boa clientela.

Que vengam outros projetos assim





sexta-feira, 27 de março de 2009

Rigatoni All'Amatriciana


Um dos símbolos da cozinha do Lazio

(rendimento: 4-5 porções)

Ingredientes:

400g rigatoni

1 colher de sopa de azeite

100g de bacon cortados em cubinhos

1/2 cebola picada

½ taça de vinho branco seco

400g de tomate pelati, sem semente

1 pitada de pimenta calabresa

80g de queijo Pecorino ralado na hora

Sal e pimenta moída na hora

 Preparo:

Coloque 4l de água salgada com sal grosso para ferver em uma panela grande.

Refogue no azeite o bacon e a cebola até dourar.

Junte o vinho e deixe evaporar para perder o álcool.

Junte os tomates e quebre-os com a colher de pau, tempere com sal e a pimenta calabresa. Cozinhe em fogo médio alto por 15 minutos.

Enquanto isso coloque a massa na água fervendo e cozinhe pelo tempo indicado.

Escorra a massa e salteie com o molho.

Sirva com o Pecorino ralado.  

quarta-feira, 25 de março de 2009

Fios de Pupunha São Cassiano - novidade

Fios de pupunha são gostosos, saudáveis e muito práticos.

Tenho uma amiga, Camila Paiva, dona do Café, em Paraty, que é especialista em pupunha em todas as suas formas.http://circuitogeral.wordpress.com/2007/09/08/restaurante-cafe-paraty/

Com ela aprendi que uma tora de palmito tem vários cortes diferentes: uma apropriada para desfiar, a parte adequada para fazer carpaccio, outra melhor para apresentá-lo em toletes....

Enfim, o difícil é conseguir sempre o mesmo padrão.

Outra amiga me enviou um e-mail dizendo que está representando uma nova linha de palmitos pupunha gourmet, o Pupunha São Cassiano desfiado. www.palmitopupunha.com

No release eles dizem que a fazenda atende a todas as normas ecológicas, e possui o Selo Verde, lavoura registrada no IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente), além do Certificado Kosher (Lei judaica de alimentação).

 Ainda não provei mas a julgar pela aparência...

Vou experimentar!


       



sexta-feira, 20 de março de 2009

Capelli D’Angelo Gratinati -curso básico 19mar2009


(rendimento: 4-6 porções)

Ingredientes:

500g de Cabelo de anjo                                                                                                                                

1,750 L de Leite integral                                                                                                                                            

300g de Presunto fatiado e cortado em juliana                                                                                                           

300g de Queijo mussarela fatiado e cortado em juliana                                                                                              

Molho de tomate consistente                                                                                                                                    

Noz moscada ralada, o quanto baste                                                                                                                        

Sal, o quanto baste

300ml de Molho bechamel

Finalização                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   

Pesto

Tomate concassé                                                                                                                                                                                                                                                                                                          

Folhas de salsinha                                                                                                                                                                                                                                                                                                         

 Preparo:

Corte as fatias de presunto e queijo em Juliana.

Ferva o leite com sal em uma panela alta.

Quebre a massa com as mãos para que não se grudem na hora do cozimento.

Adicione a massa ao leite fervente e mexa.

Cozinhe por 5 minutos ou até que a mistura fique cremosa e a massa fique al dente.

Corrija o tempero com sal e nóz moscada.

 

 Empratamento e apresentação:

Cubra um tabuleiro, bem untado, com metade do macarrão.

Adicione uma camada de presunto e outra de queijo.

Cubra o queijo com molho de tomate

Finalize com outra camada de massa.

Cubra com molho bechamel e salpique queijo grana padano ralado por cima.

Gratine em forno pré aquecido a 200ºC por 15 minutos, ou até que esteja corado.

Decore o prato com pesto e sirva com tomate concassé e uma folha de salsinha.

 Observações:

É importante que o leite adquira cosistência de creme ao final do cozimento.  

quinta-feira, 12 de março de 2009

Risotto de gorgonzola e abóbora confitada - curso básico 12mar2009


(rendimento: 5 porções)

Ingredientes:

80g de manteiga

100g de cenoura, cebola, aipo, tomilho e alecrim picados finamente

500g de arroz arbório ou carnaroli

250 ml de vinho branco de boa qualidade

*Caldo de frango quente

500g de abóbora japonesa (kaboshan) em cubos de 2cm²

100g de queijo gorgonzola

Cubos de abóbora japonesa fritos

15ml azeite extra virgem

Pimenta moída na hora

 

Preparo:

Pique os legumes micro picados.

Aqueça a manteiga junto com os legumes picados em uma panela larga e baixa sobre fogo baixo, mexendo sempre. Não deixe dourar.

Quando os legumes tiverem exalado seu aroma e estiverem bem macios junte o arroz. Refogue o arroz até que esteja transparente por fora e branco por dentro.

Adicione o vinho e misture, sobre fogo alto.

Quando o vinho tiver sido absorvido adicione o caldo quente, aos poucos, e continue mexendo.

Quando o arroz estiver al dente junte mais um pouco de caldo, a abóbora cozida e o gorgonzola. Misture bem para dar cremosidade.

Guarneça com os cubinhos de abóbora fritos, um pouco de azeite extra e pimenta do reino moída na hora.

 

CUBOS ASSADOS DE ABÓBORA

Ingredientes:

Abóbora japonesa (kaboshan) em cubos de 2cm² – 1kg

45ml de azeite

1g de sal grosso

Pimenta do reino moída na hora

2g semente de coentro amassadas

1 ramo de tomilho

 Preparo:

Corte a abóbora limpa em cubos de 2cm² e coloque-os em um tabuleiro com o azeite, sal grosso, pimenta e sementes de coentro amassadas. Cubra com o tomilho.

Asse em tabuleiro descoberto à 150ºC. Estará pronto quando os cubos de abóbora estiverem macios e levemente dourados.

 

CUBINHOS DE ABÓBORA FRITOS

Ingredientes:

Abóbora japonesa (kaboshan) – 0,255Kg de abóbora em cubos de 0,5cm²

Óleo para fritar

 

Preparo:

Frite os cubinhos de abóbora e escorra em papel de cozinha.

 

 

*CALDO DE FRANGO para o risotto

Ingredientes:

1 frango inteiro – cortado em pedaços, sem excesso de gordura ou miúdos

1 cenoura, limpa, cortada em pedaços

2 talos de aipo, limpo, cortado em pedaços

1 cebola, limpa, cortada ao meio

1 dente de cravo

2 dentes de alho

Folha verde de em alho poro, limpa

1 folha de louro

1 ramo de tomilho

 

Preparo:

Limpe bem os legumes e corte-os em quartos. Espete o dente de cravo em um quarto de cebola.

Amarre as ervas na folha de alho poro.

Coloque legumes, pedaços de frango, ou galinha, e ervas em uma panela alta, de fundo grosso. Cubra com 2 dedos de água.

Coloque sobre fogo baixo até abrir fervura e desligue o fogo. Deixe em infusão até atingir 70ºC. Passe no chinois e reserve refrigerado até a hora de usar o caldo.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Almoço Thai X Almoço Brasileiro – Viajando na cozinha com Sasiporn

Sou voluntária em um programa de intercâmbio cultural chamado AFS Intercultural Programs www.afs.org.br, com o qual viajei quando tinha 17.

Foi um marco na minha vida. Adolescente naquela época, o mundo já estava se abrindo para mim, mas conhecer outro país da forma como conheci mudou minha perspectiva profundamente. Fiz parte de uma família que não conhecia antes por um ano, estudei em um colégio como se o tivesse freqüentado desde pequena e fiz o que pude para aprender uma língua diferente e entender todos os códigos de uma cultura nova para mim.

Tive muita sorte, morei em San Francisco, Califórnia, com uma família que tinha a mesma estrutura que a minha – pai médico, mãe, três filhos, classe média. Estudei em uma escola pequena como a que freqüentava em São Paulo, uma das melhores da cidade.

Fui feliz de ser recebida com entusiasmo. Passei e ultrapassei por todas as dificuldades de adaptação intrínsecas a um intercâmbio e cresci neste ano como não poderia imaginar que cresceria. Além da janela aberta para o mundo adquirida junto com a nova língua eu acabei desenvolvendo outros lados da minha personalidade, e dons que eu não sabia que existiam.

Convivi rodeada por pessoas que não conheciam quase nada sobre mim, sobre minha família ou minha cultura. Lidava com elas sem a mesma moldura que me continha e com a qual estava acostumada. Para o meu pai americano Brasil era Carmen Miranda, o estereótipo da brasileira tropical que eu mal conhecia. Não tivemos saída; eles foram me descobrindo aos poucos, ao mesmo tempo em que eu ia me adaptando a realidade deles. Somente na volta para o Brasil, quando me deparei com as antigas referências, é que me dei conta das transformações que haviam ocorrido em mim. Não foi nada fácil, mas foi um barato, outra etapa da viagem.

Hoje estou muito contente. Estou podendo contribuir para que outros estudantes, brasileiros e estrangeiros, possam ter a oportunidade de viver uma experiência rica como foi a minha.

Contribuindo como? Sendo voluntária do mesmo AFS que é um programa sem fins lucrativos, baseado em voluntariado.

Trabalho para o comitê do Rio de Janeiro, exercendo atualmente algumas funções como a de vice-presidente e de conselheira. No momento minha aconselhada é uma tailandesa doce doce.


Sherry esta tendo a sorte que tive. Mora em uma cidade especialmente bela, com cidadãos de cabeça aberta, cativantes, estuda em uma das melhores escolas do Rio e tem uma família carinhosa que está feliz em recebê-la.

Em comum também temos a paixão pela cozinha. O sonho de Sherry é ser cozinheira profissional. Quando soube fiquei logo entusiasmada. Conversamos muito por e-mail antes de ela chegar e combinamos com sua mãe hospedeira de fazermos um almoço Thai para apresentá-la aos amigos da família.

Na bagagem Cherry trouxe dois livros, escolhemos algumas receitas e fizemos a lista de compras. Pronto, nossa viagem gastronômica começou.


Na bagagem Cherry trouxe dois livros, escolhemos algumas receitas e fizemos a lista de compras. Pronto, nossa viagem gastronômica começou.

Aconselhada pelo amigo e ex-aluno, com muito orgulho, David Zisman – dono e chef do Nam Thai www.namthai.com.br – fomos fazer compras no mercado oriental Mei-Jo 

 Mei-Jo

Rua Marques de Abrantes, 219 ljs c/d.
Flamengo - Rio de Janeiro - RJ
Tel: (21) 2551-2824

Sábado de manhã chegam os legumes, fresquinhos. O lugar, pequenininho, fica repleto de orientais, mais poucos ocidentais, perdidos como eu, ou não. Rezei para encontrar a mãe de um amigo, D. Teresa, ela mora perto. Não, ela não estava lá. Um simpático médico formado em Hong-Kong nos desvendou os caminhos e esconderijos do mercado, nos deu dicas, nos apresentou ingredientes e nos fez comprar uma fruta deliciosa Olho de Dragão, ou longan (Dimocarpus longan Lour). Parente da lichia e do guaraná . Oba! Nossa sobremesa estava resolvida.

foto da longan:  homensmodernos.wordpress.com/2008/03/page/3/

Já mais tarde, na cozinha, nossa menina parecia um carnerinho saltitante, como Eloisa já a descreveu. Entusiasmada misturava, aromas, pulava com resultados que considerava satisfatórios.

 

Eu ia tentando organizar a revolução alquímica, coordenando a limpeza dos legumes, lembrando-a das quantidades, de que pratos tínhamos para fazer. Maria, sua colega de turma, nos ajudava e, com curiosidade, ia experimentando tudo.

Aos poucos fui me dando conta de que realmente todo meu referencial culinário oriental é japonês e indiano.

Aprender a linguagem de uma cozinhar de outra cultura é um pouco como aprender a se expressar em uma língua diferente. Os temperos e a base são interiorizados aos poucos, devagar. A que se ter paciência.

    ต้มข่าไก่

Tom Kha Kai -  Sopa de galinha com leite de coco

Cherry tem de acreditar que estará falando português daqui a alguns meses, e, quem sabe, também cozinhando um pouco de comida brasileira.


Para acelerar estes conhecimentos promovi o encontro dela e dos estudantes estrangeiros que já estão no Rio a seis meses com um almoço bem brasileiro feito por nós duas: arroz branco, feijão preto com paio e lombo salgado, farofa, couve e laranja, de sobremesa pudim de leite.